Skip to content

Vamos botar o papo em dia?

7 07UTC outubro 07UTC 2009

Agora é sinal de luxo e poder (além de ego alimentado) ter uma coluna, um link ou qualquer coisa que mostre uma página que lista todos os episódios vistos de praticamente todos os blogs de séries. Estou pensando seriamente em ter um link desses…

*                               *                              *

Elas são populares, divertidinhas, e comerciais até o fio de cabelo, mas ainda não me conquistaram. Sim, estou falando das músicas do Glee Club. O fato é que eu ouço tudo aquilo e relaciono as vozes como um coral muito bem sincronizado e talentoso, mas não passa pro next level, sei lá. A única música que habita meu ipodinho é Maybe This Time, e por causa da Kristin Chenoweth, já que a Lea Michele é muito boa como cantora, mas não desce como atriz. Enfim, nesses 20 e tantos episódios da temporada, é só eles não inventarem de cantar Bohemian Rhapsody que está tudo bem…

*                               *                              *

Por falar em Lea Michele, tenho que confessar que estou meio ranzinza. Tem certos atores que habitam a TV que não me agradaram nunca, mas parece que cultivam meu ódio cada vez que aparecem, uma coisa meio trash, tenho até pensado em como os personagens morreriam de uma forma bem lenta e dolorosa. Joshua Jackson, sempre, é meu maior motivo de largar Fringe, cara, sua atuação gatinho-misterioso é uma das coisas mais cafonas que eu já vi na vida, que ódio. Além disso tem a própria Lea Michele e seus olhos que transmitem sempre a sensação que ela acabou de sair de um ônibus lotado, Amber Riley e seu modo de conseguir fazer uma mistureba de todas as personagens negras e cantoras e fortes e barraqueiras e com uma voz de quebrar vidro e blablabla, sem dar um pingo de originalidade, é uma atriz xerox total. Adrian Grenier e seu filme pornô dentro de Entourage…

Além de algumas críticas que eu não sei até onde são certas, como a 3ª temporada da Jane Krakowski, que eu acho que foi a pior para a atriz, tipo, a Jenna, de obstinada e gananciosa na 1ª temporada (quem duvida é só ver “The Head and the Hair” e “Black Tie”, ambos da 1ª e perfeita temporada), a personagem ficou infantil e boba, ao ponto de ser atacada por um gibão de uma maneira ridícula, além da deplorável trama onde ela e o Tracy ficaram vasculhando a vida do Kenneth, awful. E o ápice da minha pode parecer loucura, mas eu acho que essa temporada (até o 6° episódio) está sendo a pior do John Hamm. Sério, Don chega na empresa com cara de cansaço, fala com Betty com cara de cansaço, fala com a Sally com cara de cansaço, tudo ele faz com cara de cansaço. Isso pode ser um indício de uma eventual explosão que o personagem possa ter, por causa do passado que o atormenta, as mudanças na Sterling Cooper ou até pelo seu relacionamento um pouco confuso com Betty, mas está muito estafante ver John Hamm com a mesma face em todas as cenas. Prontofalei!

*                               *                              *

Precisava ter certeza de que não estava louco, e então vi denovo Barried Alive, dessa temporada de Entourage. Primeiro, porque os episódios passados foram péssimos, assim como o 6×11, e segundo porque ninguém que eu conheça gostou. Bom, não é horrível, mas não merecia 5 estrelas como eu coloquei. Errata!

*                               *                              *

Então, deu RIO-2016, e só se fala nisso. Minha opinião sempre foi realista. Enquanto Madri já tinha 70% das instalações feitas, Tokyo tinha um fundo no governo só para construir e optimizar as instalações, e Chicago fechou um plano de seguro de capital com empresas estatais caso a economia quebrasse de novo ou algum faturamento fosse excedido. Ou seja, eu era muito contra.

No Brasil, tinhamos uma esperança de aumentar o nível cultural da população e até aumentar o nível econômico do país, além de um mal aproveitamento do legado do Pan, com elefantes brancos espalhados pela cidade (alô Velódromo!), uma síndrome de aumento de juros em bancos que financiam tais instalações, desvalorização fantasma dos atletas que ganharam medalhas (e os que não ganharam), enfim, n problemas.

Mas agora que já foi vereditado, resta a nós colaborarmos para que não aconteça o que aconteceu no Pan-2007. Ficar 7 anos falando Chupa, Obama e Yes, We Créu não basta para que o espírito olímpico chegue ao Brasil. Aliás, não ser um país olímpico é a maior impecílio dessa candidatura. Todos gostamos de futebol, mas só lembramos das falcatruas do Flamengo com a ginástica artística quando Diego Hipólito aparece dando show em algum solo estrangeiro, só lembramos da falta de apoio do CBDA aos próprios atletas (R$1.200 em uma “bolsa atleta”, seriously!) quando o César Cielo ganha medalhas de ouro em Roma e bota a boca no trambone, mas adoramos discutir os gastos da CBF com a seleção e como o Dunga é “grosseirão”. Ou seja, somos um país futebolista, não olímpico, lembramos de outros esportes quando convém.

Mas ficar falando e criticando por 7 anos também é bobagem, agora é dever de todos os cidadãos (pelo menos os cariocas) ajudar na fiscalização, crítica, elogios e ajuda moral, que seja, não devemos ficar parados. O que tínhamos era uma esperança, agora temos uma certeza, vamos fazer que não vire um fracasso.

*                               *                              *

Nada a falar sobre VMA e VMB, sério, são as duas premiações mais poser da face da Terra. MTV sucks!

Anúncios

From → Sem categoria

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: