Skip to content

Dramas: Dexter, Fringe, FlashForward e The Good Wife

17 17UTC outubro 17UTC 2009

dexterDexter 4×03 – Blinded by the Light (Michael C. Hall, Keith Carradine): Nunca na minha vida sonhei que um dia veria um fim de episódio de Dexter, em que alguém descobre que Dex pode ser um… vândalo de bairro. Cafona, né? Pois eu achei bem esdrúxulo, mas bem mais esdrúxulo foi o vândalo ser o Andy, e ainda ter toda aquela lenga-lenga de “perdi tudo”, “minha mulher morreu”, “vou perder minha casa”, blablabla, fiquei torcendo para o Dexter matar com muitos requintes de crueldade aquele chulé. Mas tirando essa parte, o episódio foi muito bom, com o Trinity Killer dando mais pistas dos seus motivos para ser um serial (a melhor parte da temporada), Debra morrendo de amor por Lundy, e o Lundy com aquele chapéuzinho à la New Kids on the Block conversando com Dexter na cena dos bonecos. Pena que o John Lithgow apareceu tão pouco…

fringe-s02e04-momentum-deferred-7Fringe 2×04 – Momentum Deferred (Anna Torv, Kirk Acevedo): Com uma trama mais ativa, esclarecedora, mas ainda um pouco manjada (Walter tem sempre a coisa certa na hora certa, assim força a amizade), Fringe mostrou o melhor episódio da temporada, e por que não, um dos melhores da série. O Kirk Acevedo era muito melhor em OZ, mas tenho que confessar que sua morte foi até sentida, mas necessária, pois agora os planos dos metamorfos já foi lançado, e a Divisão Fringe estará mais preparada (e Anna Torv talvez não faça mais aquela cara cafona de espantada). Além da cena bonitinha do Walter levando a Rebecca para casa na maior azaração, o destaque ficou mesmo para o cliffhanger, com aquele cara assustador recebendo sangue de mercúrio.

137 sekundenFlashForward 1×03 – 137 Sekunden (n/a): O 3° episódio até conseguiu ser melhor que o 2°, mas ainda não consigo ficar apaixonado pela série e roer as unhas pelo próximo. A história do ex-nazista foi, no mínimo, decepcionante, um personagem que poderia já dar respostas ao 137 segundos no ato, ficou enrolando, aí ficou aquela coisa de “tenha fé”, “acredite”, “oh! Ele é um nazista”, e no fim… nada. E além disso, a minha saga para uma morte cada vez mais rápida para o agente Noh continua (e o que aquele mulherão viu naquele cover nipônico do Bruce Willis?). Cara, que ser mais sofrível de se acompanhar. Ah, e no próximo episódio espero que tenha Dominic Monaghan.

THE GOOD WIFEThe Good Wife 1×03 – Home (Julianna Margulies, Matt Czuchry): Pronto! Se eu ainda tinha dúvidas se a série era ou não minha nova substituta de Boston Legal, agora eu tenho certeza (e não me venha com Raising the Bar, please). Foi pra mim, o melhor episódio da temporada, com a Alicia arrasando novamente nos tribunais (pode até parecer forçado, mas a cena dela na cena do crime me conquistou), e até o Cary me entusiasmou, mesmo que eu ainda o ache um mala. E quando a série já é boa nos termos jurídicos, ela ainda consegue ser melhor quando foca o passado de Alicia, com o reencontro de uma de suas amigas-da-onça, e nesse ponto a série mostrou com brilhantismo os recalques da high-society de qual Alicia já participou.


Anúncios

From → Sem categoria

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: