Skip to content

Balanço dos episódios – Dramas

1 01UTC novembro 01UTC 2009

dexDexter 4×04/05 – Dex Takes a Holiday/ Dirty Harry (Michael C. Hall, Keith Carradine, Jennifer Carpenter): Dexter estava lindamente limpando o terreno, com storylines desgastantes, mas necessárias, para enfim jogar tudo pelos ares no quarto episódio, Dex Takes a Holiday. O episódio em si foi muito bom, mas os assassinatos de Dexter já não são mais como antes, sei lá, nem mesmo a policial-bitch-assassina me comoveu, e então, posso dizer que o episódio foi salvo pelo final, com o atentado a Debra e Lundy. E minha insegurança foi respondida no quinto episódio, Dirty Harry. Sim, o que está me cansando em Dexter é o próprio código Harry, e (oi?) sua mente, que diz coisas cada vez mais cafonas. Acabou o brilho do inconsciente amigo, Harry conselheiro e  blablabla, sorry. Nada que o Trinity Killer não conserte nos dois episódios.

clip_imageclip_imageclip_imageclip_image

fringeFringe 2×05 – Dream Logic (Anna Torv): Fringe vinha em uma sequência reveladora (um pouco exagerada, ok) e satisfatória, e conseguiu manter a qualidade com um episódio que nada acrescentou de bombástico a trama, mas botou fé na mitologia da série, com o caso do homem viciado em sonhos, que tinha uma metáfora escondida muito bonita, mas o clima do episódio era tão depressivo por causa da morte do Charlie, que eu nem peguei de primeira. Mas o destaque foi mesmo para a Anna Torv, que parece que pela primeira vez em toda a minha vida, me fez apreciar sua atuação.

clip_imageclip_imageclip_image

ffFlashForward 1×04/05/06 – Black Swan/Gimme Some Truth/Scary Monsters and Super Creeps (n/a): Nem tanto pela falta de tempo, mas por pura falta de interesse, não consegui escrever muito sobre a ruindade da série. Poderia ficar horas e horas digitando o roteiro arrastado, as atuações cafonas, os momentos de vergonha alheia como a batida de carro ao som de Like a Rolling Stone (sério, quem teve essa ideia de jericho jirico?), ou seja, iria chover no molhado, pois tudo isso é evidente. Não sei se a série vai ter um desfecho satisfatório ou até brilhante para o nível desses três horríveis episódios, só sei que não será eu quem vai dar as boas novas. Tchau, FlashForward…

clip_imageclip_image

fixedThe Good Wife 1×04/05 – Fixed/Crash (Julianna Margulies, Christine Baranski): The Good Wife assume de uma vez por todas o posto de substituta oficial de Boston Legal para mim. Não coloco Damages na roda porque a série tem tantas subtramas e tramóias por baixo do tapete, que quando Patty Hewes vai ao tribunal, a coisa fica um porre. Pois bem, a  qualidade não é a mesma da série do David E. Kelley, mas o charme da série e o climinha de conspiração são irresistíveis, além da atuação da Julianna Margulies, que é magistral. Dando mais atenção aos casos de Alicia e Diane do que o caso do marido da Alicia, o episódio mostrou uma fórmula arcaica no desenrolar da história, mas nem um pouco chata, e que bom que a série já tem temporada garantida, pois o potencial de The Good Wife para aliar bom roteiro e boas atuações é o que me faz ter certeza de que ela nunca perderá o gás imposto desde o piloto.

clip_imageclip_imageclip_imageclip_image

houseHouse 6×02 – Epic Fail (Hugh Laurie): É lógico que o episódio não seria tão legal como a premiere da sexta temporada, mas visto que a própria série já mostrou que Hugh Laurie sozinho é melhor que meia dúzia de médicos do Princeton-Plainsboro, porque raios eu iria me interessar pela storyline do Foreman e da Thirteen? Não deu outra, foi chatíssimo. Mas o episódio não foi nem um pouco ruim como os da quinta temporada, e se como de habitual as cenas de Hugh Laurie garantiram uma certa qualidade, o caso da semana foi bastante interessante, mantendo o ótimo início de temporada da série.

clip_imageclip_imageclip_image

Anúncios

From → Sem categoria

2 Comentários
  1. Vinícius P. permalink

    “Fringe” e “The Good Wife” devem facilmente figurar entre minhas séries favoritas da temporada. “Dexter” intercala ótimos episódios com outros mais ou menos – na verdade, o único realmente acima da média foi “Dex Takes a Holiday”. “House” eu não vejo mais e tô pensando dar o mesmo destino para “FlashForward”.

    • Desista mesmo de FlashForward… já era ruim, e o 1×06 ficou pior, inaceitável! Já House está imperdível, mesmo que eu continue com o pé atrás com os acontecimentos no hospital…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: