Skip to content

MSD: 18° LUGAR: Dexter (2006-????)

19 19UTC janeiro 19UTC 2010

Criador: James Manos Jr.

Emissora: Showtime

Poucas são as séries que saem das cinzas de uma premissa desgastada para criar algo original em tão pouco tempo. A tática de humanizar o “vilão” da história afim de criar uma instabilidade no paradoxo antigo do bem e do mal é um clichê usado em novelas antigas brasileiras e vários filmes, e eu já fui pego torçendo para o vilão muito antes de Dexter (alguém aí assistiu “Pecado Capital”? Então…).

Mas, James Manos Jr., um dos muitos pupilos de David Chase, deu uma nova visão para a série, já que o tal vilão, é um sociopata sem-coração sim, mas com várias facetas psicológicas que são desenvolvidas ao longo da série, seja para o bem como a decisão de matar apenas pessoas fora-da-lei do ninho de serial-killers que é Miami, seja para o mal como sua dissimulação para levar seu relacionamento com Rita e a irmã como se fosse uma pessoa normal, ou pelo seu próprio distúrbio como a relação de seu pai e seus pensamentos pessoais que são sempre mostrados (em exaustão, diga-se de passagem). Na linguagem de Shrek, Dexter é um cara cheio de camadas, como uma cebola, e ficar dissecando um personagem fio a fio é uma das coisas que mais atraem público, e aí é que está que faz de Dexter um sucesso (além, lógico, da enorme campanha promocional feita em cima da série).

Porém, essa linha é tênue, e várias vezes já me perguntei porque a série tem de ficar mostrando tudo o que Dexter fala, ou porque a caracterização dos personagens da série é tão exagerada em alguma coisa (Rita é chata DEMAIS, Debra é rústica DEMAIS, o pai do Dexter é sistemático DEMAIS e por aí vai), mas o fato de apresentar um dos melhores personagens da TV, auxiliado por um dos melhores atores da atualidade, Michael C. Hall, Dexter se sobressai e se torna uma das melhores séries da última década, mesmo sem ter acabado ainda.

Episódios Prediletos: (2×09) Resistance is Futile, (2×12) The British Invasion, e (4×12) The Getaway.

Anúncios
2 Comentários
  1. “Dexter” perdeu um pouco de minha admiração a partir do fim da terceira temporada (a quarta foi mediana na minha opinião), mas não há como esquecer os excelentes episódios da segunda temporada, uma das minhas favoritas da década.

  2. Thomaz Jr. permalink

    Se fosse em 2007, na certa eu diaria que 18 lugar é pouco. Afinal assisti as 3 primeiras temporadas de Dexter. Mas não senti vontade de ver a última.

    Hoje, achei 18 lugar mto. Dexter é previsivel. Não que eu saiba a resolução do mistério. O óbvio seria tds os “desafios” que dexter enfrenta: solucionar o caso de um novo serial killer; lidar com vida dupla de bom homem, bom namorado, bom trabalhados X ótimo serial killer; encontrar alguem que entendenda e aceite seu lado mal, mas que ele tem, inevitavelmente, que matá-la. Ufa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: