Skip to content

MSD: 7° LUGAR: Boston Legal (2004-2008)

12 12UTC fevereiro 12UTC 2010

Criador: David E. Kelley

Emissora: FOX

Acho que eu já disse aqui muitas vezes que meu tipo de série preferido são os dramas jurídicos, e por isso David E. Kelley seja pra mim um dos maiores roteiristas que eu já vi, junto com outros tão gênios quanto como David Chase, Robin Green, Aaron Sorkin, Alan Ball e etc. E como não poderia deixar de ser, um dos meus filmes prediletos de toda a vida é “12 Homens e Uma Sentença”, um drama jurídico do mestre Sidney Lumet, que ganhou um remake horroroso uns anos atrás.

Então está mais do que claro o porquê da presença de “Boston Legal” no meu ranking, certo? Pois então eu digo que meu maior motivo pra gostar tanto assim da série não é por ela ser um drama jurídico. Isso porque, ao contrário da novata “The Good Wife”, ou até “The Practice” que é a série-mãe de todos os dramas jurídicos, que gira suas tramas 90% das vezes em torno do tribunal e das reviravoltas por trás de uma família de (oh!) advogados, “Boston Legal” era uma série que tratava da forma como a política agia sobre a mente das pessoas, sobre a intolerância humana sobre outras culturas, e principalmente, sobre a quebra dos maiores tabus da sociedade.

Assim sendo, a série trazia semana após semana casos de incesto, racismo, aborto, eutanásia, e na maioria das vezes, casos de pessoas que processavam o Estado de Massachusetts, mostrando a fragilidade das Leis dos Estados Unidos, envolvendo posse de arma, disputa familiar, evasão de divisas, liberdade de expressão e por aí vai, com o posicionamento da série sempre colocado nos formidáveis discursos de Alan, Danny, Shirley e cia. diante do tribunal, e com a inteligente decisão de fazer com que os memoráveis discursos dos advogados da Crane, Pool & Schmidt às vezes não fossem o necessário para que a lei fosse cumprida devidamente.

E se não bastasse isso, a relação entre os dois personagens principais, os advogados Alan Shore e Danny Crane, além de muito intensa era permeada por debates políticos acalorados, já que Alan era orgulhosamente democrata, e Danny, era o típico republicano neurótico, gerando episódios memoráveis principalmente na 5ª e última temporada, que ocorreu no ano das eleições americanas, sempre com os “pingos nos is” sendo devidamente colocados nas conversas no terraço da firma, com direito a vinho e charutos cubanos, sempre no fim de cada episódio.

Enfim, foi uma série inesquecível, com um roteiro sagaz, atuações precisas, principalmente de James Spader no maior estilo Henry Fonda e William Shatner, e personagens tão potentes e bem-construídos como as obras mais malucas de Charlie Kauffman,  Quentin Tarantino e cia. É uma pequena obra-prima de David E. Kelley.

Episódios Prediletos: (2×24) Deep End of the People, (3×10) The Nutcrackers, e (5×13) Last Call.

Anúncios
4 Comentários
  1. Hello! Tudo bom? Vou adicionar ao meu blogroll ok?
    BOSTON LEGAL é o melhor programa que já passou na televisão!
    E que mal o pergunta, mas o que significa MSD?

    Abraço!

  2. Thomaz Jr. permalink

    Curto mto Boston Legal, em especial, os papos de Danny e Allan no terraço.

  3. Eu também adoro dramas jurídicos, e exatamente por isso, me sinto totalmente em falta com esse aí. Que eu só pego reprises nos canais a cabo, e sempre me perco. Dou uma chance maior um dia desses.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: