Skip to content

Em Busca do Emmy – Minisséries

20 20UTC abril 20UTC 2010

The Prisoner (AMC)

Diretor: Nick Hurran

Roteirista: Bill Gallagher

Elenco: James Caviezel, Ian McKellen, Hayley Atwell, Ruth Wilson

A AMC despontou, com “Mad Men” e “Breaking Bad”, como um canal a cabo que pode fazer frente a HBO no quesito qualidade, conforme vai recebendo vários prêmios pelas 2 séries nesses últimos três anos, principalmente. Mas tenho minhas dúvidas quanto a “The Prisoner”. A história conta a vida de Michael, que do nada acorda em um lugar completamente estranho onde as pessoas são identificadas por números. Por que raios ele foi parar lá? Quem é aquele povo? Será que aquilo é real? Pois bem, toda a minissérie vai e vem com um clima denso e psicológico, que se baseia na construção e aprofundamento dos enigmáticos personagens, e um certo clima de tensão sobre o passado de Michael e as intenções do personagem de Ian McKellen, mas parece que falta uma competência maior dos dois lados. Nem os personagens de Michael (Caviezel) e 2 (McKellen) recebem contrastes atraentes, nem o clima de tensão da série é muito envolvente, já que os mistérios demoram para ser desenrolados e tudo depois parece ser jogado às pressas. É inegável que a parte técnica, principalmente a fotografia, é tão boa que até enaltece a obra, e pode ser considerada até uma boa diversão, mas não passa disso.

Minha Cotação: 8,0 ou ****

Alice (SyFy)

Diretor: Nick Willing

Roteirista: Nick Willing

Elenco: Caterina Scorsone, Kathy Bates, Harry Dean Stanton, Andrew Lee Potts, Charlotte Sullivan

Eu confesso que não gostei de “Tin Man”, a versão Syfy de “O Mágico de Oz”. Pra mim a magia e beleza da história era a simplicidade e a “inocência” da fábula, o que a minissérie destroçou sem dó. E realmente achei que iria gostar de “Alice”, pois o livro tem personagens disfuncionais e uma realidade fantástica que me fascina, e combina com o climão “moderno” que foi proposto. Mas… ok, a minissérie teve bons momentos, na 1ª parte por exemplo, a trama do livro de Lewis Carroll se adaptou muito bem ao clima dark e futurista, mas se perdeu totalmente na 2ª parte. A história ficou estranha, tantas coisas aconteceram que eu nem me lembro direito, e a introdução de mais tantos e tantos personagens só desestruturou os fantásticos personagens que nós amamos. A rainha de Copas recebe uma interpretação forte de Kathy Bates, mas perdeu todo o charme do “cortem as cabeças”. O Mestre Gato virou um figurante de luxo. E o chapeleiro (aqui Hatter)… foi bem interpretado, mas um fiasco de adaptação. Conselho: não leia o livro antes de ver a minissérie.

Minha Cotação: 7,5 ou ***

Emma (BBC)

Diretor: Jim O’Hanlon

Roteirista: Sandy Welch

Elenco: Romola Garai, Jonny Lee Miller, Rupert Evans, Michael Gambon, Louise Dylan

Baseado em um filme chato com a Gwyneth Paltrow, essa minissérie só entrou na minha grade por ser considerada a minissérie britânica que sempre tem indicação certa nas premiações. E, por mais que eu não goste desse tipo de história, devo dizer que fiquei ENCANTADO com “Emma”. A história aqui vai para um rumo mais descompromissado, cômico e sutil, e Romola Garai encorpora esse espírito com uma vivacidade impressionante (e lógico, melhor que a Gwyneth Paltrow naquele filme chato). A parte técnica, lógico, é de babar, com as instalações bem-feitas, os figurinos, a direção de arte e tudo o que uma boa produção precisa. Vão atrás, é muito bom.

Minha Cotação: 8,5 ou ****

The Pacific (HBO)

Diretores: Jeremy Podeswa, Timothy Van Patten, David Nutter

Roteiristas: Bruce C. McKenna, George Pelecanos, Michelle Ashford, Robert Schenkkan, Graham Yost, Laurence Andries

Elenco: Joseph Mazzello, James Badge Dale, Jon Seda

“Band of Brothers” foi uma minissérie que marcou época por abordar a guerra de uma forma realista e sentimental, com nomes de peso nos bastidores como Steven Spielberg e Tom Hanks. Os dois agora voltaram para produzir “The Pacific”, com o mesmo enfoque na 2ª Guerra Mundial, e se antes as batalhas eram travadas na Europa, agora o palco é o Japão e a região do Pacífico em geral. Sem me aprofundar no patriotismo presente e determinante (não tão maior que em “Band of Brothers”, mas mesmo assim considerável), a produção mais uma vez é caprichadíssima, os atores dessa vez não tão renomados estão melhores que em “Band of Brothers” (se considerarmos o mico que David Schwimmer passou), o roteiro é acertado e tudo parece conspirado para que “The Pacific” ganhe uns 400 Emmy’s. E vai ser super-merecido.

Minha Cotação: 9,0 ou *****

*                                         *                                          *

A partir daqui as minisséries citadas estão muito sem informação, então conforme vão estreando eu vou postar sobre.

“Cranford”, a minissérie que fez sucesso em 2007, voltou no fim do ano passado. Pelo jeito, deve garantir mais algumas vagas de atuação para Judi Dench e Imelda Staunton, que foram indicadas na primeira vez. Na minha opinião, “Cranford” se resume às personagens de Dench e Staunton fofocando mais do que a Dona Lupa em época de Big Brother, uma coisa que me deixou com o pé atrás com a nova produção. Até agora não achei nenhum torrent, nenhum review estrangeiro, nada. Se for mais um show de fofocas sobre a realeza, é melhor que nem seja relevado aos prêmios.

“Small Island” é  uma produção claramente menor da BBC, mas de uma forma ou de outra merece ser vista, primeiro porque adoro o diretor da minissérie John Alexander, que dirigiu a minissérie “Razão e Sensibilidade”, e dois episódios geniais de “Life on Mars”. A minissérie vai falar sobre o racismo, um tema batido, mas que ainda rende história.

Mas o maior enigma de toda a safra é “Torchwood: Children of Earth”. “Torchwood” era uma série, que teria sido aparentemente cancelada após a sengunda temporada, e por não ter muita audiência, a terceira temporada que já estava produzida foi encurtada para cinco episódios que foram lançados pela BBC como uma minissérie. Eu assisti ao primeiro episódio e é realmente demais, e conta com uma atuação excelente de Peter Capaldi, e um roteiro bem parecido esteticamente com o  do (ótimo) filme “Filhos da Esperança”. O estranho é que agora a série pode ganhar uma quarta temporada, que serviria de extensão para a história, mas poderia ser tanto uma minissérie como aconteceu com “Cranford”, como poderia ser a volta da série regular, como os telefilmes espaçados de “Battlestar Galactica”. De qualquer forma, a série não está recebendo muita atenção da crítica especializada, e dificilmente irá chegar aos prêmios, exceto Peter Capaldi, que recentemente estrelou o agradável “In the Loop”.

Anúncios

From → Sem categoria

One Comment
  1. Dessas vi apenas “Emma” e estou acompanhando “The Pacific”. A primeira achei fantástica, provavelmente uma das melhores adaptações de algo da Jane Austen que já fizeram. Provavelmente deve ter muitas indicações, mas perder várias para a da HBO, o que de certa maneira é até justo – estou impressionado com o nível técnico da minissérie. Pretendo ver “The Prisoner”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: