Skip to content

Os 10 Melhores Episódios de Abril

13 13UTC maio 13UTC 2010

10° Lugar: Community (1×21) – Contemporary American Poultry

“Community” segue em uma temporada que já se desponta como uma das melhores do ano. Quem diria que de um piloto tímido e que prometia somente a esperança de surgir uma série feel-good, “Community” fosse tão além do esperado? Ninguém acho. Nesse episódio, todo inspirado no filme “Os Bons Companheiros”, os ótimos momentos ficaram a cargo da dupla Jeff-Abed, e o roteiro que faz com que a série seja uma das maiores cargas de referência de outras produções da atualidade.

9° Lugar: United States of Tara (1×06) – Torando!

“United States of Tara” mudou completamente de uma temporada para outra. Se na 1ª temporada tínhamos situações estacionadas e pouca comédia, agora temos a junção perfeita entre momentos emocionantes e alívios cômicos interessantes. Neste episódio, o destaque vai todo para Toni Collette, que desempenha com perfeição uma cena difícil, em que sua personagem entra no porão em busca de proteção de um tornado que passa pela cidade. Emmy pra ela, já!

8° Lugar: Ugly Betty (4×20) – Hello Goodbye

No episódio final da série, os roteiristas da série propõem que nós comparemos a Betty da primeira temporada, tímida, de óculos fundo-de-garrafa e aparelho, com a Betty do fim da série, bem-sucedida e confiante no seu trabalho, e a diferença e espantosa, e muito satisfatória para os fãs da série. Além de traçar o destino de outros personagens como Marc, Amanda e Wilhelmina, “Hello Goodbye” foi uma amostra de como a série se manteve segura em sua proposta inicial e marca “Ugly Betty” como uma série que deixará saudades.

7° Lugar: Chuck (3×13) – Chuck vs. The Other Guy

A essa altura do campeonato, querer de volta o meu Mr. Nice Spy já é impossível, já que a série deu uma reviravolta no personagem irreversível. Ou não, já que a série já provou uma vez que consegue desconstruir o personagem com facilidade da 1ª para a 2ª temporada. Mas talvez esse Chuck que vemos agora seja o ideal. A série agora vem balanceada com o humor de sempre, mas com mais toques verdadeiros de ação, como foi este tenso episódio em Paris, com o confronto decisivo entre Chuck e (o mala) Shaw. Fantástico episódio!

6° Lugar: Fringe (2×16) – Peter

Desde a abertura inspirada nos anos 80 eu já sabia que esse episódio de “Fringe” seria maravilhoso. A saga de Walter em pegar o Peter de outra dimensão para substituir o Peter verdadeiro foi, além de reveladora e tensa, uma maneira de entender mais o personagem mais fascinante da série, quando sua assistente ainda era Carla e os celulares eram aparelhos altamente tecnológicos. Melhor episódio da série.

5° Lugar: Breaking Bad (3×06) – Sunset

O que parecia impossível aconteceu: “Breaking Bad” pode ter uma terceira temporada tão magnífica quanto a segunda, e a contestação deste fato veio com esse excelente episódio. Dando atenção a um personagem que antes era só um alívio cômico para a série (Hank, do excelente Dean Norris), a trama voltou a andar no ritmo frenético que já estamos acostumados, com a emboscada a Jesse, e o confronto de Hank com Walter.

4°Lugar: 24 (8×16) – Day 8: 7:00 a.m. – 8:00 a.m.

“24” tropeçou muito no início da temporada até chegar a um ponto positivo na série. A trama de Dana era um lixo, e até a reviravolta da personagem foi muito over pra mim, mas, até que enfim, tivemos um episódio digno de “24”, depois de tanto pedir. Todo o clima de tensão da série voltou com a descoberta de Dana como uma traidora política, e atingiu o ápice no final, com a morte do Presidente Hassam.


3° Lugar: Treme (1×01) – Do You Know What It Means?

O aguardado piloto de “Treme” confirmou todas as expectativas em torno da série e já a colocou como uma das grandes apostas da temporada. Do mesmo criador de “The Wire”, a série gira em torno de cidadãos da cidade estadunidense de Nova Orleans depois do furacão Katrina. Com fortes interpretações e uma presença grande da música e da cultura dos guetos da cidade, o piloto de “Treme” já é um dos melhores pilotos que eu já vi.


2° Lugar: Lost (6×11) – Happily Ever After

“Lost” quase fica com o primeiro lugar do pódio pela segunda vez seguida, com esse magnífico “Happily Ever After”, que contou com a estrela de Desmond para dar a revelação definitiva dos flash-sideways. E mais do que um episódio revelador, “Happily Ever After” teve um lado psicológico e emocional muito forte, graças ao roteiro forte que disseca o personagem de Henry Ian Cusick mais do que qualquer outro na série.


1° Lugar: Damages (3×13) – The Next One’s Gonna Go in your Throat

Meu caso de amor com “Damages” chegou ao fim nesse episódio. Acho meio inviável que a essa altura do campeonato a DirecTv assuma com os direitos de imagem da série, por isso olho esse episódio como o series finale de uma das minhas série prediletas de acompanhar. E como series finale, esse episódio foi perfeito. Amarrou todas as pontas desde a 1ª temporada, além de formular a “questão de consciência” que mais dia ou menos dia, iria atormentar Patty Hewes. Se valeu a pena todas as artimanhas que ela usou ou não, nunca saberemos, porque ela não respondeu a pergunta feita por Ellen, mas que seu personagem foi um dos mais bem-feitos que eu já vi, isso foi. Valeu a pena ver os 39 episódios desta magnífica série!

Anúncios

From → Sem categoria

One Comment
  1. Esse foi meu episódio preferido da temporada de “Damages” e sem dúvida um excelente desfecho para a série, mas mesmo assim prefiro “Happily Ever After” e “Do You Know What It Means?” dentre os episódios do mês.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: