Skip to content

Saldo dos finais de temporada – Dramas

29 29UTC maio 29UTC 2010

Já voltei. E continuo meus singelos comentários sobre o fim de mais algumas séries (“Lost” e “24” estão se despedindo de vez). Abaixo, com os devidos spoilers:

Vamos começar com “Fringe”, que teve a temporadas mais regular e seguras da safra, sem muita diferença entre os episódios bons e ruins (a não ser aquela chatice do episódio fora-de-época). E como foi espantoso ver uma sequência arrebatadora de episódios, que foi desde o ótimo filler “Brown Betty”, passando pela viagem que foi “Northwest Passage”, até chegarmos aos excelentes “Over There: Part 1 e Part 2”. Olivia e Walter se adentraram a fundo na realidade alternativa, o que trouxe severas consequências, como a “troca” de Olivias, mas trouxe várias respostas envolvendo o enigmático William Bell e a outra moeda do querido Walter: um homem frio, capaz de tudo para executar seu plano de vingança contra o outro Walter. “Fringe” está se encaminhando para ser uma série tão imperdível como foi “Arquivo X” na década de 90, fiquem atentos.

E o que dizer sobre o fim de temporada de “Grey’s Anatomy”? Sensacional é pouco! Vou confessar que não sentia uma aflição pelos destinos dos personagens desse jeito desde o épico “It’s the End of the World/As We Know It”, e por isso essa season finale pode ser considerada épica também. O atirador que entrou com sede de vingança no Seattle Grace/Mercy West deixava um rastro de medo e horror por onde passava (ele matou os médicos aleatórios, Reed e Charlie). E como eu tinha saudades dessa sensação de que qualquer coisa poderia acontecer aos meus queridos personagens. Derek, Bailey (Chandra Wilson estava absoluta), Karev, Lexie, Meredith, e, claro, Christina Yang, traduziram de forma simultânea o sentimento de pavor que o desesperado Gary Clark levou ao hospital. Shonda Rhimes merece aplausos pelo sensacional desfecho da excelente sexta temporada de “Grey’s Anatomy” (nem foi tão excelente a temporada, mas qual temporada não fica depois de um episódio como esse?)!

Sobre “24” a opinião é quase a mesma, só elogios. Como ainda vai ter um filme que vai fechar a série, esse series finale foi mais uma despedida da série do que um fechamento da história. Jack Bauer, que de uns tempos pra cá começou a agir por pura vingança contra os assassinos de Renee, foi puxado de volta à realidade por Chloe e viu que acabaria morrendo. Entre seu embate contra Suvarov e a tentativa de suicídio do presidente Logan, era evidente pra mim que toda aquela situação não iria acabar com Jack morto (até porque aina tem o filme, né). No fim, depois de se rwender ao sistema penal americano, Jack sofre novamente uma emboscada em que ele quase é morto, é salvo no último minuto pela presidente Taylor, e acaba a série como fugitivo dos E.U.A. novamente. Se só lendo parece que o episódio foi um dos mais tensos da série, é porque foi só um resumo. “24” foi uma série que soube prender a audiência como poucas, usando tensão e drama com inteligência e sempre com ótimas atuações do elenco. Vou sentir muitas saudades da série.

***

E então, eis que surge a hora de “Lost”. Vou ser direto: não gostei muito do final. Teve vários momentos legais, emocionantes mesmo, e a cena final é antológica, mas muitas coisas pra mim simplesmente não funcionaram a ponto de me satisfazer com a resolução dada.

Meu primeiro adendo vai ao embate entre Locke-MIB vs. Jack. Não sei se é trauma do episódio 6×15, mas acho que todas as ações do obscuro homem de preto/fumaça da ilha e seu irmão Jacob são de incompreensíveis pra baixo. Desde o começo da temporada vemos insinuações da origem dos dois, vemos várias ameaças de Jacob que caso seu irmão saia da ilha o mundo acabaria, e no fim temos um vilão perfeito para o fim de uma série. Nem tanto que no fim nem vamos saber O QUE realmente aconteceria caso Flocke saísse da ilha (o que ele iria fazer? Agir como um vândalo destruindo várias cidades e matando pessoas? Nem o próprio FLocke disse o que raios ele iria fazer de tão mal pra humanidade, e se ele não fizesse nada e o Jacob estivesse mentindo? Foi um drama que se revelou desnecessário, pois a sensação que tenho é que os roteiristas nos forçaram a acreditar que FLocke é mal, e todo mal deve ser cortado, sem maiores explicações), ainda somos apresentados a uma solução imediata e miraculosa: sem a rolha do lago de luz do episódio 6×15, Flocke viraria mortal novamente, o que possibilitaria sua morte como humano. Não só essa resolução de última hora não me desceu, como toda essa mitologia do lago de luz é tão non-sense que por um instante eu pensei que estava vendo o final da “Caverna do Dragão”, ao invés de uma série que se tornou cult principalmente pela LÓGICA de seus acontecimentos.

Aí temos uma luta apática entre Jack e o grande vilão da série, já que Desmond, por ser especial, entrou no lago dourado e retirou a rolha. Porém, a ilha começa a desmoronar, fato que ocorreu graças a rolha retirada por Desmond. Muito conveniente né? Vamos abstrair isso. Enquanto alguns (Kate, Sawyer etc.) vão para o avião pilotado por um ressurgido das cinzas Lapidus, Jack corre para o coração da ilha reacender a luz antes que a ilha vá para os ares. Aí é que ele se fere mortalmente e morre entre os bambuzais, na companhia de Vincent em uma alusão à primeira cena da série.

Esse momento é antológico e realmente emocionante, porque nos faz remeter a um passado onde não conhecíamos Jacob, onde Jack e os outros passageiros da conexão Austrália-E.U.A. eram pessoas perdidas em um lugar misterioso, precisavam se embrenhar na mata pra conseguir comida, se assustaram com o monstro de fumaça, descobriram a existência da Iniciativa Dharma, a presença dos Outros,  e no meio disso um urso polar, estátua danificada, navio encalhado…

E aí eu me pergunto: por mais que esses eventos tenham sido um molde do que os personagens se tornaram, pra que realmente serviu tantos mistérios como os citados acima? Se no fim, tudo se resumiu a uma luta entre dois irmãos com a interferência de um ou outro sobrevivente, no que inclui isso os Outros? E as viagens no tempo? E pra que serviu o “funcionou” da Juliet se no fim a realidade paralela não tinha NADA a ver com a explosão da bomba na quinta temporada?

Aliás, os flash-sideways foram uma decepção pra mim. Eu até curti no início a vida dos personagens sem a intervenção de Jacob e da ilha, mesmo sem saber até onde aquilo iria levar o rumo da série, mas eis que na verdade, tudo aquilo era um pós-vida, uma preparação para a “elevação final”, e todos estão mortos. Veja bem, o filho de Jack e Juliet é oriundo de uma relação fantasmagórica ou algo do tipo, e o fim disso é o reencontro de todos em uma igreja aberta pelo pai do Jack, onde todos rumariam ao espaço e além, em busca da LUZ tão desejada por nós reles mortais. Nem é questão de ser sem sentido ou trash, é questão de se apegar a uma visão espiritual para responder de um jeito desleixado a origem de uma pergunta mais que fundamental para a série. É questão de jogar pela goela do fã um desfecho moral desgastado e mal-explicado, e vender como uma coisa lúdica e sentimental. Isso me deixou muito triste.

Enfim, temos a série mais arrasa-quarteirão de todos os tempos chegando ao fim, e por mais chato que eu tenha sido com o fim da série, tenho que admitir que o resultado final da série foi mais que satisfatório (aliás, a sexta temporada inteira foi boa, só o fim foi mais-ou-menos). Uma série que entregou episódios memoráveis como “Through the Looking Glass” e “The Constant” foi considerada referência por muito tempo na TV, e pode ser conhecida a partir daqui como “aquela que não teve um fim digno” (como sempre será lembrada “Seinfeld”), mas não pra mim. Não guardo rancores dos roteiristas pelas falhas evidentes, porque não gosto de ficar remoendo o que é ruim nas coisas. “Lost” vai ser sempre pra mim uma série revolucionária e que mudou meus conceitos de TV. Está de parabéns.

***

Nossa, que bíblia…

Por problemas técnicos, o post não vai ter imagem agora já temos imagens!!!

Anúncios

From → Sem categoria

2 Comentários
  1. Luiz Carlos permalink

    Era bom q todos os espctadores de Lost tivessem a msm posição q a sua…pq não pelo fato de o final ter decepcionado (para alguns) em seu final q devemos desmerecer toda a série, como vi muita gente falando por ai!!
    Mas eu particulamente adorei o final da série, assim como a de 24!!
    Mas nenhum final de temporada superou o de grey´s….simplismente incrivel!!

Trackbacks & Pingbacks

  1. Os 10 Melhores Episódios de Maio « Blog do Kalifa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: